Infecção urinária, causas, sintomas e diagnóstico.

Infecção Urinária – Onde aparece?

Rins, ureteres, bexiga e uretra.

Qualquer um desses locais pode ser invadido por bactérias. Os rins são órgãos encarregados de filtrar o sangue, extraindo dele os resíduos que serão eliminados na urina. Dali, o fluido segue por dois tubos, os ureteres, para a bexiga, onde fica armazenado de três a quatro horas, até ser expulso do organismo através de um canal, a uretra.

Quando um ou os dois rins são infectados, surge a pielonefrite aguda, uma doença grave que ocasiona febres altas, dores lombares e abatimento.
A contaminação da bexiga recebe o nome de cistite e a da uretra, uretrite. As duas últimas são as formas mais comuns de infecção urinaria.

Como acontece a infecção?

Pode começar de duas maneiras:

A primeira, por via sangüínea, acontece quando o sangue está contaminado por bactérias que alcançam e agridem o rim. É o que costuma ocorrer nos recém-nascidos do sexo masculino, mais vulneráveis à ação desses germes. A outra forma predomina após a fase neonatal: bactérias existentes na pele ao redor do ânus e da vagina penetram na uretra, por onde facilmente alcançam a bexiga. Dali, podem migrar para os rins, subindo pelos ureteres.

As meninas correm mais riscos de se infectar assim por razões anatômicas. Nelas, a uretra é mais curta e próxima do ânus, o que facilita a contaminação por fezes espalhadas nas fraldas ou trazidas no papel higiênico, quando a limpeza é inadequada. Ou seja. o movimento é feito de trás para a frente, não o inverso, como se recomenda.

Os meninos levam vantagem: o pênis e o prepúcio, pele que cobre a cabeça do órgão sexual, protegem a uretra contra essas agressões.

bebe 300x225 Infecção urinária, causas, sintomas e diagnóstico.

Infecção urinária. Fique atenta à seu bebê.

As causas da infecção urinária:

Na maioria das vezes, a responsável pela infecção urinária é a bactéria Escherichia coli, que vive no intestino humano. Mais raramente, a culpa cabe ao oxiúros.

À noite, a fêmea desse verme sai do seu hábitat, o intestino, para depositar ovos na parte externa dos genitais. O local fica cheio de bactérias fecais trazidas pelo verme e que podem ser levadas, pelo ato de coçar, até a entrada da vagina ou da uretra.
Sinais de alerta.

Perda de peso ou ganho insuficiente, falta de apetite, apatia, abatimento, irritabilidade, vômitos, diarréia, icterícia (pele amarela), surtos febris ou pele fria são indícios de infecção urinária em crianças menores de 1 ano. A urina também se altera, torna-se malcheirosa, seu jato enfraquece ou dá lugar a gotinhas freqüentes. Só que os pais nem sempre notam as modificações, pelo fato de seus filhos ainda usarem fraldas.

Os hábitos urinários também mudam: surge um desejo de ir ao banheiro, embora só elimine gotinhas, a urina escapa na calcinha e foge ao controle: de repente, a garotinha começa a fazer xixi na cama.

Complicações:

Além do mal-estar, a infecção pode causar danos graves e às vezes, permanentes ao rim. Daí a importância de diagnosticar e tratar a infecção urinária em estágio precoce, se possível antes que a bactéria suba até esse órgão vital. Felizmente, a arquitetura de um aparelho urinário saudável dificulta esse acesso. O jato de urina lava os germes, evitando que se transfiram dos ureteres para os rins.

Diagnóstico da infecção urinária.

A dor ao urinar pode ter outras causas, de assaduras à inflamações na vagina. Um exame de urina corriqueiro confirma a suspeita de infecção. Apesar de conter uma variedade de fluidos, sais e resíduos para serem expulsos do corpo humano, a urina geralmente é estéril, isto é, isenta de bactérias.

A presença de microorganismos numa amostra do líquido revela o problema no trato urinário. Para obter a amostra a ser analisada, você deve lavar e secar os genitais da criança e, depois, colher a primeira urina da manhã.

Alguns médicos solicitam a coleta de amostra do meio do jato: o início do fluxo é desprezado, porque talvez carregue germes que habitam a parte externa da genitália. O restante é colhido direto num recipiente esterilizado, não no penico, para evitar contaminação.

Nos meninos, basta colocar o recipiente na direção do pênis. Nas meninas, a solução é deixá-lo sempre dentro do penico. Outros métodos de coletar urina incluem passar um cateter através da uretra até a bexiga ou inserir uma agulha pelas paredes abdominais até chegar à bexiga. O resultado desse exame sai em pouco tempo.

Fonte: Meu Nenê.

Voltar ao início do Nenê

Nenê - Artigos Relacionados: